Olá, sou Lucas Melo, Ortopedista e Especialista em Joelho. A partir de agora, vamos discutir tudo sobre as lesões meniscais. Conheça os tópicos que serão abordados nesse Guia Completo das lesões dos meniscos:

  1. ESSA É A SUA HISTÓRIA? FOI ASSIM QUE A DOR NO SEU JOELHO COMEÇOU?

  2. O QUE É O MENISCO?

  3. ANATOMIA E FUNÇÃO DO MENISCO

  4. COMO OCORRE A LESÃO MENISCAL?

  5. SINAIS E SINTOMAS DE UMA LESÃO MENISCAL

  6. DIAGNÓSTICO E EXAMES COMPLEMENTARES PARA AVALIAÇÃO DAS LESÕES MENISCAIS

  7. VISÃO GERAL SOBRE O TRATAMENTO DAS LESÕES DOS MENISCOS

  8. TRATAMENTO CONSERVADOR (NÃO-CIRÚRGICO) DAS LESÕES MENISCAIS

  9. TRATAMENTO CIRÚRGICO DAS LESÕES DOS MENISCOS.

  10. REABILITAÇÃO E ORIENTAÇÕES NO PÓS-OPERATÓRIO DE UMA LESÃO MENISCAL

1. ESSA É A SUA HISTÓRIA? FOI ASSIM QUE A DOR NO SEU JOELHO COMEÇOU?

“Parece que tem um negócio solto no meu joelho. Algumas vezes, dependendo do movimento, o joelho até trava e não consigo mais mexer novamente. A dor é bem nesse ponto aqui, parece que tem um espinho ou uma agulha no local”.

“Pense como esse joelho “estala”! Quando eu dobro o joelho consigo até escutar o barulho, parece que tem alguma coisa solta. Será que isso é grave?”.

Você se identificou com alguma dessas história? Não deixe de ler esse Guia Completo das lesões meniscais até o final! Esse texto completo e rápido irá fazer com que você entenda tudo sobre as lesões dos meniscos. Se ficar com qualquer dúvida, entre em contato que teremos o prazer de ajudar você.

2. O QUE É O MENISCO?

Sem dúvidas, o menisco é uma das estruturas mais nobres do joelho. Compostos por um tecido fibrocartilaginoso, os meniscos parecem com uma “meia-lua”, ficando entre os dois ossos do joelho (fêmur e tíbia).

os meniscos parecem com uma “meia-lua”, ficando entre os dois ossos do joelho (fêmur e tíbia).
os meniscos funcionam como os verdadeiros “amortecedores do joelho”.

Modificado de Biomaterials

Desta forma, os meniscos funcionam como os verdadeiros “amortecedores do joelho”. Como uma mola, eles ajudam a absorver e distribuir melhor o impacto que os joelhos recebem, evitando que toda essa carga vá para a cartilagem e o osso. Além disso, os meniscos do joelho funcionam também como um importante estabilizador (ajuda a manter o joelho no lugar) e participam da “lubrificação” do joelho.

3. ANATOMIA E FUNÇÃO DO MENISCO

Cada joelho possui dois meniscos: o menisco medial (parte de dentro do joelho) e o menisco lateral (parte de fora do joelho). Normalmente, os meniscos ficam entre os ossos da coxa e da perna (fêmur e a tíbia), ajudando a manter a congruência do joelho.

o menisco medial (parte de dentro do joelho) e o menisco lateral (parte de fora do joelho).
o menisco medial (parte de dentro do joelho) e o menisco lateral (parte de fora do joelho).

Modificado de KSSTA

De forma prática podemos dividir a anatomia do menisco em 3 partes:

⦁ Corno anterior: parte da frente do menisco.
⦁ Corpo meniscal: o meio do menisco, a maior parte dele.
⦁ Corno posterior: a parte de trás do menisco.

Podemos dividir a anatomia do menisco em 3 partes: 1 - ⦁ Corno anterior: parte da frente do menisco. 2 - Corpo meniscal: o meio do menisco, a maior parte dele. 3 - Corpo porterior: a parte de trás do menisco.
Podemos dividir a anatomia do menisco em 3 partes: 1 – ⦁ Corpo anterior: parte da frente do menisco. 2 – Corpo meniscal: o meio do menisco, a maior parte dele. 3 – Corpo porterior: a parte de trás do menisco.

Modificado de: AJSM

Você que já fez uma ressonância magnética do joelho mostrando lesão do menisco, lembra de ter lido esses termos? A localização da lesão meniscal é um fator importante na decisão do tratamento adequado.

Outro ponto importante que você precisa saber é que o menisco não é muito vascularizado, ou seja, não chega muito sangue no menisco. Isso impacta diretamente no tratamento, pois se não chega muito sangue, a capacidade de cicatrização é menor. A parte mais de fora do menisco (chamada de periferia meniscal) é a possui uma melhor vascularização sanguínea, por estar mais perto dos vasos sanguíneos, conforme você pode ver na imagem abaixo. Assim, esperamos que uma lesão na periferia do menisco tenha uma maior chance de cicatrização.

Aqui podemos observar A parte mais de fora do menisco (chamada de periferia meniscal) é a possui uma melhor vascularização sanguínea, por estar mais perto dos vasos sanguíneos.
Aqui podemos observar A parte mais de fora do menisco (chamada de periferia meniscal) é a possui uma melhor vascularização sanguínea, por estar mais perto dos vasos sanguíneos.

Agora que você já sabe tudo sobre a anatomia meniscal, vamos entender como é o funcionamento do menisco!

Vai ser bem fácil entender a função meniscal se você comparar com o amortecedor de um carro.

Comparação de amortecedor de carro com o menisco do joelho
A principal função meniscal é absorver as cargas e ajudar na melhor distribuição do peso por todo o joelho, evitando que só um ponto seja sobrecarregado.

 

Eu quero que você imagine agora um carro com o amortecedor quebrado. Talvez assim que ele quebrar você escute um barulho e trave logo. Mas pode ser também que continue funcionando por um tempo. Você vai notar que o carro vai começar a “ficar mais duro”, não tendo segurança quando cair em um buraco e vai começar a “puxar para o lado”. Caso você não conserte esse amortecedor, com o tempo, a suspensão do carro vai começar a apresentar defeito, além de gastar os pneus de forma muito rápida (o pneu que duraria 3 anos vai durar apenas 1 ano).

O menisco do seu joelho funciona de maneira muito parecida! A principal função meniscal é absorver as cargas e ajudar na melhor distribuição do peso por todo o joelho, evitando que só um ponto seja sobrecarregado. Sabemos que até 85% da força aplicada em um joelho dobrado (flexão do joelho) pode passar pelo menisco. Além disso, os meniscos atuam na estabilização, complementando os ligamentos (não deixe de clicar aqui para saber tudo sobre as lesões ligamentares) e na melhora da “lubrificação” do joelho.

Agora você precisa compreender como ocorrem as lesões meniscais. Será que o exemplo do amortecedor do carro ainda vai nos ajudar nessa tarefa? Não deixe de ler o próximo tópico!

4. COMO OCORRE A LESÃO MENISCAL?

De maneira simplificada, existem duas formas de lesão do menisco: as lesões meniscais agudas (traumáticas) e as lesões meniscais crônicas (degenerativas).

Agora voltando ao exemplo do amortecedor. Imagine que você está satisfeito com o seu carro ainda com “cheirinho de novo”. Esse carro não vai dar problema! Entretanto, em um momento de descuido você cai em um buraco muito grande e já escuta um barulho. Pronto, o amortecedor quebrou!

Isso é exatamente o que ocorre quando você está jogando futebol/basquete/vôlei, dançando, correndo ou praticando alguma arte marcial e machuca o joelho. Geralmente, ou ocorre alguma torção ou algum adversário cai por cima do seu joelho, levando a uma ruptura do menisco. Será que você conhece essa história:

⦁ “Eu estava bem no meio da partida, indo tudo bem. Só que em um momento de descuido, acabei torcendo o joelho. Na hora teve um estalo, até tentei voltar, mas o joelho ficou muito inchado e dolorido”. Depois fiquei com dificuldade para esticar o joelho todo”.

Aqui ilustramos como ocorre a lesão meniscal

Por outro lado, temos as lesões crônicas (degenerativas). Sabe aquele seu carro 4×4 que já ganhou vários campeonatos de “rally” e trilhas? Você ama aquele carro, porque ele nunca te deu problema (e olha que já subiu várias dunas e atravessou buracos!). Só que um belo dia, andando no asfalto (mesmo sem exigir muito como você estava acostumado a fazer), o carro começou a apresentar um barulhinho estranho, o amortecedor quebrou. Os dias foram se passando, você foi convivendo com aquele barulho, até que não foi mais possível subir as dunas.

As lesões meniscais crônicas são desta forma. Geralmente, você não consegue dizer o dia ou algum movimento que iniciou a dor. Só sabe que o joelho está doendo há um tempo, de vez em quando ele fica inchado e está dificultando a realização das suas atividades. Algumas vezes, uma piora é notada ao subir/descer escadas ou mesmo após um agachamento para pegar algum objeto no chão.

Você se identificou com algum destes quadros? O seu joelho dói quando você agacha ou sobe/desce escadas? Será que essa dor no joelho tem uma “cara” de dor por lesão do menisco?

5. SINAIS E SINTOMAS DE UMA LESÃO MENISCAL

Os sintomas relacionados às lesões meniscais vão depender do tamanho, tipo e localização da lesão. A queixa mais comum nas pessoas com ruptura do menisco é DOR NO JOELHO.

Essa dor tende a localizar-se na linha da articulação, que é onde o menisco fica (entre o fêmur e a tíbia). O joelho possui a linha articular medial (parte de dentro joelho) e a lateral (parte de fora do joelho). Dependendo se a lesão do menisco for medial ou lateral, a dor deverá localizar-se em um desses pontos.

Faça um teste, tente palpar a linha da articulação do seu joelho (a imagem abaixo vai te ajudar!). Você tem dor nesse ponto do menisco?

Teste para localizar sua dor e identificar se é lesão do menisco.
O joelho possui a linha articular medial (parte de dentro joelho) e a lateral (parte de fora do joelho). Dependendo se a lesão do menisco for medial ou lateral, a dor deverá localizar-se em um desses pontos.

Modificado de Osteoarthritis and Cartilage

Além da dor, uma queixa bastante comum entre os pacientes com lesão de menisco é o joelho inchado (derrame articular). Muitas vezes, esse inchaço vai e volta várias vezes, formando a chamada “água no joelho”.

Também é comum a ocorrência de travamentos e falseios do joelho, os pacientes podem referir que “perderam a confiança” no joelho após uma lesão meniscal. Esses travamentos podem ser ocasionados quando fica um “pedacinho do menisco” fica solto no joelho (como se fosse uma “pedra no sapato”). Quando a lesão meniscal é muito grande, pode levar ao bloqueio do joelho (você não “estica” o joelho por completo). Esses casos são, na maioria das vezes, ocasionados pela lesão meniscal em “alça de balde”.

6. DIAGNÓSTICO E EXAMES COMPLEMENTARES PARA AVALIAÇÃO DAS LESÕES MENISCAIS

Para o diagnóstico correto e preciso das lesões meniscais, é fundamental um exame físico detalhado, complementado por uma avaliação com raio-x e ressonância magnética.

Sem dúvidas, o exame físico é a ferramenta mais importante no diagnóstico da lesão meniscal (eu vou te explicar o motivo mais na frente). Apesar de existirem diversas manobras para examinar o menisco, muitas delas aplicando pressão e rotação no joelho (são vários nomes de testes ortopédicos), o achado no exame que mais identifica uma lesão de menisco é a dor na palpação da linha articular do joelho (isso mesmo, aquele teste da foto que você fez em si mesmo fez agora há pouco! Se não fez ainda, volta no tópico anterior e faz!). Além disso, devemos buscar todos os sinais e sintomas de lesão meniscal citados previamente.

Apesar do raio-x não mostrar os meniscos, esse exame é importante para avaliar o joelho como um todo. Lembra quando falamos que a ausência do menisco pode acelerar o desgaste do joelho? Isso a gente consegue identificar no raio-x. Em casos de lesões meniscais mais antigas, o joelho pode começar a “entortar” um pouco, podendo levar ao joelho varo ou valgo. Nesses casos, um raio-x panorâmico de membros inferiores (que pega da bacia até o pé) é importante.

O melhor exame para avaliar uma lesão de menisco é a ressonância magnética. Por ela, é possível estimarmos o tamanho, tipo, localização e padrão da lesão, ajudando a guiar o tratamento adequado. Na ressonância, um menisco normal se parece com uma gravata borboleta. Faz sentido para você essa comparação?

Ressonância magnética para avaliar lesão no menisco, na ressonância, um menisco normal se parece com uma gravata borboleta.
Na ressonância, um menisco normal se parece com uma gravata borboleta

Modificado de Radiol Res Pract

Basicamente, temos uma lesão meniscal na ressonância quando há um “rasgado” na imagem. Muitas vezes, isso pode ser visto como um “traço branco” dentro do menisco.

Aqui podemos vizualizar a diferença de um menisco normal e um menisco rompido, por meio de ressonância magnética.
Deu para notar a diferença entre um menisco normal e um menisco rompido na ressonância? É só prestar atenção entre a “gravata borboleta” normal e esse menisco “riscado” na última imagem.

Modificado de Radiol Res Pract

Deu para notar a diferença entre um menisco normal e um menisco rompido na ressonância? É só prestar atenção entre a “gravata borboleta” normal e esse menisco “riscado” na última imagem.

Agora vamos para o ponto mais importante do diagnóstico. A localização da dor no exame físico deve corresponder ao local da lesão na ressonância, ou seja, a sua queixa “tem que bater” com a ressonância magnética (por isso falei que o exame adequado e completo era a principal ferramenta). Principalmente naquelas lesões meniscais mais crônicas e em pessoas que já “usaram muito” o menisco, pode haver algumas alterações degenerativas. É como se não fosse uma lesão no menisco, apenas um desgaste. Por isso a necessidade dessa avaliação completa para evitarmos cirurgias ou procedimentos desnecessários.

E por falar no tratamento, agora vou falar tudo que você precisa saber sobre o tratamento das lesões meniscais. Essa é a parte mais aguardada né? Então se concentra aí e não deixe de ler os próximos tópicos!

7. VISÃO GERAL SOBRE O TRATAMENTO DAS LESÕES DOS MENISCOS

Uma coisa é fato e você precisa guardar, o menisco é uma esturutra muito nobre para o joelho, digamos que insubstituível (ainda não é uma realidade no Brasil as cirurgias para transplante meniscal). Você precisa fazer de tudo para salvar o menisco e garantir que ele exerça a sua função, evitando um desgaste precoce do joelho.

A decisão do tratamento adequado depende da análise detalhada de uma série de fatores como: idade do paciente, tamanho da lesão, tipo de lesão, grau de atividade física e cronicidade da lesão meniscal.

Por isso é fundamental que você tenha uma avaliação com um Ortopedista Especialista em Joelho da sua confiança e que tenha experiência no tratamento das lesões meniscais. Desta forma, você poderá ter o melhor tratamento para o seu caso e evitar procedimentos desnecessários.

Mas fique tranquilo, a grande maioria das lesões meniscais irão curar com o tratamento conservador (sem necessidade de cirurgia), permitindo que você possa retornar à prática esportiva e às suas atividades diárias.

Caso esse seja o seu problema e precise de maiores esclarecimentos, clique aqui que estarei à disposição para ajudar você!

8. TRATAMENTO CONSERVADOR (NÃO-CIRÚRGICO) DAS LESÕES MENISCAIS

Nos casos de lesões meniscais menores e mais degenerativas, uma boa fisioterapia, seguido da manutenção de um bom condicionamento e fortalecimento muscular irá resolver o problema.

Como muitas vezes o paciente chega com dor e com o joelho inchado, é interessante iniciar com medicações analgésicas e anti-inflamatórias. Aplicação de gelo, além de outros métodos utilizados na fisioterapia irão ajudar bastante para o alívio da dor e recuperação mais rápida.

Passada essa fase mais inicial, iniciamos de fato com a reabilitação para ganho de todo o movimento do joelho e da força. Após isso, é feita uma transição para a manutenção do fortalecimento muscular na academia (sempre acompanhada por um profissional de educação física competente), seguido do retorno à prática esportiva.

Nos casos de lesões meniscais mais graves ou que não se obteve o sucesso esperado com o tratamento conservador, devemos considerar a possibilidade de cirurgia.

9. TRATAMENTO CIRÚRGICO DAS LESÕES DOS MENISCOS

Nos dias de hoje e com a evolução da tecnologia, as cirurgias para tratamento das lesões meniscais estão se tornando cada vez menos agressivas, sendo realizadas por vídeo, através de “furinhos” no joelho (a famosa artroscopia de joelho). Isso garante uma cirurgia mais rápida e melhor recuperação no pós-operatório.

cirurgia do LCA realizada por vídeo
Graças a evolução das técnicas cirúrgicas, a cirurgia do LCA é realizada por vídeo, possibilitando menores incisões cirúrgicas.

Modificado de Arthroscopy Techniques

É importante reforçar que o princípio da cirurgia no tratamento da lesão meniscal deve ser sempre preservar o menisco. Antigamente, era comum a retirada do menisco inteiro como forma de tratamento. Entretanto, a evolução para degeneração e artrose era notada precocemente. Os materiais mais modernos permitem que você faça uma sutura do menisco (você dá vários “pontos” no menisco). A sutura com preservação meniscal, sempre que for possível, é o tratamento mais adequado nos dias de hoje.

Preste atenção na próxima imagem e veja os vários “pontos” que foram dados no menisco. Isso mesmo, são “pontos” parecidos com aqueles de costura e bordado! Sabe quando a sua melhor camisa rasga e você não quer deixar de usá-la? A solução é levar no conserto e pedir para costurar. Fazemos a mesma coisa com o menisco do joelho!!!

Menisco que sofreu procedimento cirurgia.
Modificado de Arthroscopy Techniques

Entretanto, algumas lesões muito crônicas já estão bastante desgastadas, não permitindo que seja feita a sutura. Imagine agora um lençol rasgado bem velho, cheio de pedaço de fio solto. Entretanto, você não pode jogar fora, pois é o seu único lençol. Quando você vai “se enrolar” com o lençol, a impressão que dá é que esse fio solto vai prender no seu pé e rasgar mais ainda o lençol. O que você faz? Corta apenas o fio solto e a parte rasgada, preservando o resto (até porque você ainda precisa do seu único lençol. E dessa mesma forma fazemos com o menisco!

Esse procedimento é chamado de meniscectomia parcial, no qual, retiramos apenas a parte “esfiapada” e “solta” da lesão meniscal. Dessa forma, preservamos o máximo de menisco possível, tentando manter a sua função.
Esse procedimento é chamado de meniscectomia parcial, no qual, retiramos apenas a parte “esfiapada” e “solta” da lesão meniscal. Dessa forma, preservamos o máximo de menisco possível, tentando manter a sua função.
Modificado de: Clin Orthop Relat Res

Deu para você ver a lesão meniscal nessa imagem aqui de cima? Esse pedacinho rasgado do menisco pode incomodar você como uma “pedra no sapato solta dentro do joelho”.

Após o tratamento cirúrgico correto, a fase de reabilitação é fundamental para termos sucesso nos resultados. O seu empenho e dedicação estarão diretamente relacionados com a melhora e a velocidade de retorno às suas atividades.

10. REABILITAÇÃO E ORIENTAÇÕES NO PÓS-OPERATÓRIO DE UMA LESÃO MENISCAL

Após uma cirurgia para tratamento de lesão meniscal, a reabilitação pós-operatória é muito variável. Depende muito do tipo de cirurgia que foi realizado e do padrão da lesão.

Por exemplo, quando foi realizada uma meniscectomia parcial (aquela cirurgia que tira um pedacinho do menisco), o pós-operatório é bem mais tranquilo, sendo permitido uma imediata mobilização do joelho e os pacientes já podem pisar. O uso de 1 ou 2 muletas pode ajudar nos primeiros dias, até você ganhar confiança na sua perna.

Já uma cirurgia de sutura meniscal (quando são dados vários pontos no menisco), você precisa ter um pouco mais de cuidado para evitar que esses pontos soltem (o que não permitiria uma cicatrização adequada do menisco). Nesses casos, há uma restrição inicial da mobilização (o quanto você vai dobrar o joelho) e do quanto você vai poder pisar com aquela perna. Para tornar ainda mais complexo, dependendo do tipo e da localização da sutura, essas restrições também podem variar.

Ou seja, não tem como definirmos um protocolo padrão para a reabilitação das lesões meniscais. O importante é que todo esse acompanhamento seja feito com um Especialista em Joelho experiente, além de fisioterapeutas e educadores físicos acostumados com o tratamento das lesões dos meniscos. Esse trabalho multidisciplinar irá garantir que você tenha um tratamento individualizado, permitindo bons resultados e retorno às suas atividades.

Independente se foi realizada cirurgia ou não, o tratamento das lesões meniscais não é algo simples e precisa ser feito por profissionais da sua confiança e com experiência nas lesões dos meniscos. Sabemos que a demanda por práticas esportivas vem aumentando cada vez mais e relaciona-se com o bem-estar das pessoas. Sendo assim, não deixe de tratar o problema do seu joelho para voltar às suas atividades sem dor e melhorar a qualidade de vida. Caso tenha alguma dúvida e precise de mais esclarecimentos, pode contar conosco para ajudar você a voltar a fazer tudo o que fazia antes da lesão. Você é parte ativa desse processo!