Olá, sou Lucas Melo, Ortopedista e Especialista em Joelho. A partir de agora, vamos discutir tudo sobre a condropatia. Conheça os tópicos que serão abordados nesse Guia Completo da Condromalácia Patelar:

  1. ESSA É A SUA HISTÓRIA? FOI ASSIM QUE COMEÇOU A SUA DOR NO JOELHO?

  2. O QUE É A CONDROMALÁCIA PATELAR?

  3. ANATOMIA E COMO É O FUNCIONAMENTO DA PATELA

  4. POR QUE O JOELHO DÓI NA CONDROMALÁCIA PATELAR?

  5. FATORES DE RISCO PARA CONDROMALÁCIA PATELAR

  6. COMO É A DOR E QUAIS OS SINTOMAS DA CONDROMALÁCIA PATELAR?

  7. DIAGNÓSTICO E EXAMES COMPLEMENTARES NA CONDROMALÁCIA PATELAR

  8. VISÃO GERAL SOBRE O TRATAMENTO DA CONDROMALÁCIA PATELAR

  9. TRATAMENTO CONSERVADOR (NÃO-CIRÚRGICO) DA CONDROMALÁCIA PATELAR

  10. TRATAMENTO CIRÚRGICO DA CONDROMALÁCIA PATELAR

  11. RETORNO AOS ESPORTES E ÀS ATIVIDADES NORMAIS NO CONTEXTO DA CONDROMALÁCIA PATELAR

1. ESSA É A SUA HISTÓRIA? FOI ASSIM QUE COMEÇOU A SUA DOR NO JOELHO?

“Não sei dizer direito quando essa dor no joelho começou, mas não teve nenhuma “pancada” ou “torção”. Quando vou subir ou descer escadas, até mais quando vou descer, essa dor piora. Outra coisa chata, quando passo muito tempo numa cadeira e vou levantar, a dor vem com tudo! Em alguns momentos tenho até a impressão de que o joelho está dando uma “inchada” dos lados. Também não é fácil apontar a dor, costuma ser mais pela parte da frente, como se fosse uma dor por dentro”.

Você se identificou com essa história? Se sim, você não está só! Boa parte das consultas com um Especialista em Joelho são para tratar essas dores e queixas típicas da condromalácia patelar. Todos os dias eu atendo pacientes com um quadro parecido com o que falamos. Não deixe de ler esse Guia Completo da Condromalácia Patelar até o final! Esse texto completo e rápido irá fazer com que você entenda tudo sobre a Condromalácia Patelar. Se ficar com qualquer dúvida, entre em contato que teremos o prazer de ajudar você.

2. O QUE É A CONDROMALÁCIA PATELAR?

A tão famosa condromalácia patelar é um termo de origem grega, da junção das palavras “khóndros” (cartilagem) e “malakos” (amolecido). Ou seja, condromalácia patelar seria um amolecimento da cartilagem da patela.

A condromalácia ou condropatia patelar é um dos principais motivos que levam os pacientes a procurarem um Especialista em Joelho. Muitas pessoas acabam realizando algum exame de imagem do joelho e recebem um laudo de condromalácia patelar. Basicamente, é como se a imagem identificasse fissuras ou rupturas (“rachaduras”) na cartilagem da patela. Imagino que se você já passou por isso deva ter ficado preocupado e com algumas dúvidas, principalmente em relação ao tratamento.

Será que a dor do seu joelho nos quadros de condromalácia patelar é causada mesmo só pelo “amolecimento da cartilagem”? Eu já te adianto que NÃO! Com as pesquisas que levaram a uma melhor compreensão e entendimento das causas de dor na “condromalácia”, há uma tendência de trocarmos o termo “condromalácia patelar” pelas expressões “dor anterior do joelho” ou “dor patelofemoral”. Não deixe de ler o texto até o final para entender tudo sobre a condromalácia patelar e saber do melhor programa de tratamento para o seu caso!

3. ANATOMIA E COMO É O FUNCIONAMENTO DA PATELA

A cartilagem é um tecido rico em colágeno tipo II, especializado no suporte de carga, ou seja, ajuda os ossos a se moverem suavemente uns contra os outros, podendo suportar o peso do corpo durante atividades como correr e pular, reduzindo o atrito e melhorando a distribuição de carga nas articulações.

A patela é o osso que que fica na frente do joelho (conhecida também como a rótula do joelho). A cartilagem da patela é a mais espessa (grossa) do corpo humano. Isso se deve ao fato de que a cartilagem da articulação patelofemoral pode receber cargas de até 6,5x o seu peso corporal durante atividades diárias (isso mesmo, mais de 6 vezes o seu peso!). Com o tempo, isso pode levar ao desgaste dessa cartilagem da patela (fissuras), levando ao desenvolvimento de condropatia ou condromalácia patelar, principalmente quando alguns fatores de risco estão associados.

estrutura que compõe o joelho
Modificado de The Patellofemoral Joint: State of the Art in Evaluation and Management.

O joelho é uma das articulações mais complexas do corpo humano, ele recebe muita carga (quando você corre), além de permitir um grande grau de flexão (olha o tanto que você dobra o joelho!). Para isso, a patela tem um papel fundamental, permitindo melhorar a distribuição de carga e força no joelho. A patela se liga ao tendão do quadríceps e ao ligamento patelar, sendo mobilizada conforme o joelho dobra e estica. Será que é possível imaginar uma comparação entre o joelho e um guindaste?

papel da patela na distribuição da carga e força no joelho comparada à um caminhão guincho
A patela tem um papel fundamental, permitindo melhorar a distribuição de carga e força no joelho.

Modificado de Anterior Knee Pain and Patellar Instability

Isso aí, o joelho não é tão diferente de um guindaste! Tal fato permite uma grande vantagem mecânica para o joelho, possibilitando que a gente faça menos força para poder esticar o joelho. Conforme o joelho é flexionado, as cargas transmitidas pela patela são modificadas. E como falei para você, essas sobrecargas crônicas podem levar ao desgaste e consequentemente à condropatia ou condromalácia patelar.

flexão do joelho e distribuição da carga
Conforme o joelho é flexionado, as cargas transmitidas pela patela são modificadas.

Modificado de Anterior Knee Pain and Patellar Instability

Note que interessante, quando o joelho dobrou até 90 graus, a pressão que passa pela cartilagem da patela mais do que dobrou! Será que isso pode explicar o motivo daquela dor chata quando você agacha ou permanece muito tempo sentado com o joelho dobrado?

4. POR QUE O JOELHO DÓI NA CONDROMALÁCIA PATELAR?

Não é tão simples localizar e explicar como é a dor nos casos de condromalácia patelar. Imagino que se eu pedisse para você apontar com o dedo onde é o ponto da dor você teria dificuldades nessa definição. É muito mais uma sensação de “dor por dentro do joelho” ou mesmo uma sensação de “pressão por trás da patela” quando você movimenta o joelho. Vamos entender a complexidade da origem da dor na condromalácia patelar!

A cartilagem articular é um tecido que não possui vasos nem nervos, ou seja, A CARTILAGEM NÃO DÓI POR SI SÓ! Não podemos justificar a dor da condropatia ou condromalácia patelar apenas pelo fato de haver algumas “rachaduras” na cartilagem.

Entretanto, existem várias outras estruturas internas no joelho que podem provocar dor. Seguem alguns exemplos de problemas que podem iniciar um quadro de dor no joelho:

⦁ Quando o joelho está inchado (com derrame articular), o excesso de líquido pode esticar a bolsa que reveste o joelho (a cápsula articular) e isso provocar dor.
⦁ Nos casos em que a lesão (“rachadura”) na cartilagem seja profunda o suficiente para chegar até o osso que fica embaixo da cartilagem (o osso subcondral), podendo haver um quadro de dor. Mas eu já quero te tranquilizar, essas lesões muito fundas estão longe de serem comuns. A grande maioria dos casos são lesões mais superficiais.
⦁ A sinóvia que fica dentro da articulação (uma “gordurinha” que fica no joelho – volta lá na imagem da anatomia que você vai ver essa gordurinha logo abaixo da patela) também pode sofrer inflamação, provocando uma sinovite dolorosa. Geralmente, isso ocorre quando pequenos movimentos inadequados ocorrem nas atividades do dia-a-dia, que a gente nem percebe. Já ouviu falar de “Hoffite”? Nada mais é do que uma forma de sinovite (vou te mostrar com detalhes uma imagem na parte do diagnóstico).
⦁ Algumas fibras (chamadas de retináculo) ajudam a manter a patela na posição. Em casos com movimentos repetitivos desequilibrados pode haver inflamação desse retináculo, provocando dor.

Ou seja, boa parte destas dores sentidas no joelho são ocasionadas
por um desequilíbrio neuromuscular. Isso mesmo, DESEQUILÍBRIO MUSCULAR. Eu gosto de enfatizar que é um desequilíbrio e não fraqueza, pois é super comum atendermos pessoas com bastante massa muscular e que praticam musculação diariamente, mas mesmo assim apresentam dor no joelho e tem um quadro de “condromalácia patelar”. Ou seja, o equilíbrio da musculatura não está adequado.

Agora que você já entendeu que não se pode justificar a dor na condropatia ou condromalácia patelar apenas pela lesão da cartilagem, será que você tem algum fator de risco ou predisposição para o desenvolvimento desse desequilíbrio muscular? Vamos descobrir isso agora no próximo tópico!

5. FATORES DE RISCO PARA CONDROMALÁCIA PATELAR

Alterações no equilíbrio e alinhamento dos membros inferiores estão diretamente associadas às condições que predispõe ao surgimento de dor no contexto da condropatia ou condromalácia patelar. É como se esses fatores levassem a uma “microinstabilidade”, ou seja, não é que você vai sentir a patela “frouxa”, entretanto, a repetição crônica do movimento nessas condições de desequilíbrio vai levar a um atrito repetitivo e dor patelofemoral.

Preste bastante atenção nessa imagem, ela vai te ajudar a entender um dos conceitos mais importantes: o membro inferior está todo interligado!

fatores de risco que podem causar a condromalácia patelar
Alterações no equilíbrio e alinhamento dos membros inferiores estão diretamente associadas a condropatia ou condromalácia patelar.

Modificado de JOSPT

Não podemos olhar só para o joelho! Deu para entender que um desequilíbrio no quadril e no pé tem impacto direto no joelho? Por isso a necessidade de entender onde está o problema para tratarmos a causa e não só a consequência da dor na condromalácia patelar.

Também queria destacar um outro achado muito comum entre as pessoas que apresentam essas alterações no quadro de condropatia ou condromalácia patelar, o valgo dinâmico. Valgo é também conhecido como “joelho em tesoura”.

desequilíbrio no membro inferior
O membro inferior está todo interligado.

Dizemos que o valgo é dinâmico quando ele só aparece quando você realiza determinados movimentos (por exemplo, quando você vai fazer agachamento ou aterrissar de um salto). Deu para entender? Não é que sua perna seja torta, só existe um desequilíbrio muscular que faz com que ela “entorte” durante a execução de certos movimentos.

atleta realizando movimento que destaca o valgo dinâmico do joelho
O valgo é dinâmico quando ele só aparece quando você realiza determinados movimentos .

Vamos fazer esse teste aí na sua casa? Execute o movimento igual ao da foto aqui em cima de frente para um espelho (não vale tentar corrigir!). Você tem algum grau de valgo dinâmico? Se sim, não precisa se preocupar! Isso é muito comum e tem como ser corrigido com exercícios.

6. COMO É A DOR E QUAIS OS SINTOMAS DA CONDROMALÁCIA PATELAR?

É difícil você saber precisar quando a dor começou, não é verdade? Nesses casos de condropatia ou condromalácia patelar, geralmente, não houve nenhum trauma na patela, e a dor é meio difusa. Alguns movimentos, como agachamento ou ficar muito tempo sentado (conhecido como o “sinal do cinema”) pioram a dor na condromalácia patelar. Além disso, pode ocorrer desconforto ao subir e descer escadas (consegue imaginar que esse movimento pode provocar aquele valgo dinâmico?).

Outra queixa bastante comum nos pacientes com condropatia é um aumento da dor naqueles que usam carro manual (sobrecarrega muito ao ficar pisando na embreagem).

Uma etapa fundamental no exame físico é avaliar a presença de instabilidade da patela, ou seja, se a patela tem uma “tendência a sair do lugar”. Tal condição muda um pouco a abordagem. Mas é importante ressaltar que essa “frouxidão” da patela é mais rara. Clique aqui para saber tudo sobre instabilidade patelar.

Na grande maioria dos casos de condromalácia patelar, as únicas alterações encontradas são “uma dor espalhada pela frente do joelho” e os desequilíbrios dos membros inferiores citados no tópico anterior.

7. DIAGNÓSTICO E EXAMES COMPLEMENTARES NA CONDROMALÁCIA PATELAR

A principal ferramenta para o diagnóstico da condropatia ou condromalácia patelar é um adequado exame físico, permitindo uma compreensão do padrão de dor e das alterações nos membros inferiores.

Entretanto, um exame de imagem, como a ressonância magnética, pode permitir uma avaliação por completo do tamanho da condropatia, além de excluir a presença de outras lesões que possa levar a um quadro de dor no joelho.

Você que já fez uma ressonância de joelho e se deparou com um laudo falando condromalácia grau 1, 2, 3 ou 4. O que seria esse grau da condromalácia? Basicamente, é a profundidade e tamanho da lesão:
⦁ Grau 1: Apenas mudança no aspecto da ressonância, sem lesão de fato na cartilagem da patela.
⦁ Grau 2: lesão parcial, pegando menos da metade da cartilagem da patela.
⦁ Grau 3: lesão parcial, pegando mais da metade da cartilagem da patela.
⦁ Grau 4: lesão completa, que pega toda a espessura da cartilagem da patela, até o osso subcondral (aquele que fica abaixo da cartilagem).

Ressonância magnética exibindo diagnóstico e graus da condromalácia patelar
O grau da condromalácia se refere basicamente, a profundidade e tamanho da lesão.

Modificado de IJO

Independente do grau da lesão, quero te dar aqui uma boa notícia. NA GRANDE MAIORIA DOS CASOS (QUASE SEMPRE MESMO!) O TRATAMENTO DA CONDROPATIA OU CONDROMALÁCIA PATELAR É CONSERVADOR (SEM NECESSIDADE DE CIRURGIA). Agora que você já está sabendo tudo sobre as alterações da condromalácia patelar, vai ficar fácil compreender o tratamento adequado.

8. VISÃO GERAL SOBRE O TRATAMENTO DA CONDROMALÁCIA PATELAR

O que acho sempre interessante enfatizar é que você é a parte mais importante para o sucesso do tratamento. Dito isso, o tratamento vai basear-se na identificação de alterações durante o exame físico e correção das mesmas. Já que não existe nenhum remédio mágico para tratar a condromalácia patelar, a sua compreensão e aderência ao plano de reabilitação é o principal fator que irá garantir os bons resultados. Sabendo disso, mãos à obra!

9. TRATAMENTO CONSERVADOR (NÃO-CIRÚRGICO) DA CONDROMALÁCIA PATELAR

Geralmente, alguns pacientes com condropatia ou condromalácia patelar procuram o médico com dor e inflamação no joelho. Nessa primeira consulta, podemos utilizar medicações analgésicas e anti-inflamatórias que irão ajudar no alívio dessa dor mais aguda. Além disso, um acompanhamento com um fisioterapeuta no início do quadro será importante, tanto para ajudar no controle da inflamação inicial como para iniciar o processo de reabilitação e fortalecimento.

Algumas bandagens e joelheiras podem ser utilizadas em alguns casos de condromalácia patelar, principalmente no momento mais inicial. Entretanto, é importante ressaltar que nenhum desses meios substitui a necessidade do fortalecimento muscular. O alongamento da cadeia posterior (por exemplo, pegando uma toalha e colocando a mesma no pé para esticar a perna) também é etapa fundamental no tratamento. Lembra daquela figura que mostra o aumento da pressão na patela quando o joelho fica dobrado? O alongamento serve justamente para diminuir essa pressão!!!

exercício para fortalecimento muscular do joelho

A principal parte do tratamento é o fortalecimento muscular. Devemos focar em todo o membro inferior, desde a musculatura abdominal, quadril, coxa e perna. O fortalecimento da musculatura abdutora do quadril (aquela que faz você abrir a perna) irá ajudar no controle do valgo dinâmico. O quadríceps (principal músculo da coxa) é o pilar para o bom equilíbrio do joelho.

Não podemos esquecer também de corrigir eventuais alterações na pisada (por exemplo, com palmilhas), que possam alterar a mecânica do joelho. De forma resumida, a imagem mostra alguns exercícios no protocolo para os pacientes do Massachusetts General Hospital.

exercícios para alongamento e fortalecimento muscular do joelho
Exercícios para alongamento e fortalecimento muscular do joelho.

10. TRATAMENTO CIRÚRGICO DA CONDROMALÁCIA PATELAR

A realização de cirurgias para tratar uma condropatia ou condromalácia patelar é EXCEÇÃO! Eu gosto de dizer que o tratamento cirúrgico da condromalácia patelar é tentar fisioterapia e fortalecimento muscular novamente.

Os poucos casos que necessitam de alguma abordagem cirúrgica são aqueles com uma lesão muito complexa da cartilagem (não se preocupe, provavelmente, esse não é o seu caso). Para facilitar o entendimento, preferimos explicá-los em uma outra área, a das lesões da cartilagem. Não deixe de conferir todas as informações que você precisa para entender uma lesão da cartilagem, clicando aqui.

11. RETORNO AOS ESPORTES E ÀS ATIVIDADES NORMAIS NO CONTEXTO DA CONDROMALÁCIA PATELAR

A ideia do tratamento é permitir que você retorne o mais breve possível à todas as suas atividades. E isso é possível conforme você alcance um bom condicionamento que vai permitir a realização, sem dor, de tudo que você estava acostumado a fazer.

Entretanto, não caia no erro mais comum após o tratamento de uma condropatia ou condromalácia patelar: interromper o fortalecimento muscular após passar a dor! Isso aumenta bastante a chance de recorrência, é fundamental manter esse bom equilíbrio muscular. Além disso, a prática de exercícios vai permitir uma melhor qualidade de vida geral!

Seja parte ativa no tratamento da condromalácia patelar! Caso tenha alguma dúvida e precise de mais esclarecimentos, pode contar conosco para ajudar você a voltar a fazer todas as suas atividades sem dor no joelho.